terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

QUEM ESTÁ NA CHUVA...


Chuva artificial no BBB 10. Privilégio de poucos que muitos assistem embaixo d'água.



Vamos parar um pouco com a comédia. Tenho consciência de que os escritos mais engraçados são os que mais agradam, mas nem só de risos sobrevive nossa mísera cultura. Já estamos no final do mês de fevereiro e tudo o que vimos até agora foram chuvas consumindo nossas cidades, devastando nossa infra-estrutura pobre e sem planejamento, fruto da corrupção do governo e dos péssimos hábitos da população. Tragédias como a de São Paulo são cada vez mais constantes, e fica evidente o despreparo da máquina estatal, aparelhada com muitos estudiosos que se mataram de estudar para conseguir uma vaga nas tetas do tesouro, mas que na hora de resolver as demandas sociais são ineptos, displicentes e omissos.
A situação, também não deixa de ser engraçada. É uma verdadeira “enxurrada” de informações (metáfora perfeita) inúteis sobre “como aconteceu”, “por que aconteceu” ou ainda “como evitar que aconteça” e “como poderia se ter evitado “. Os jornalistas tomam espaço nos botes dos bombeiros, que deveriam estar transpondo vítimas ou alimento, para fazer “imagens exclusivas” e tomar “depoimentos emocionantes” das pessoas que contemplam seus pertences indo , literalmente, por “água abaixo”.
Não distante disso, estamos diante do diverso reality show mais famoso do Brasil, que, curiosamente, tem chuva artificial! Tão triste esse comparativo, eu sei, mas não chorem um rio de lágrimas, não é necessário ficar imaginando uma família num barraco alagado assistindo à prova do líder, na qual cai chuva artificial. Pobres brasileiros, seria difícil imaginar então, que, além da chuva, as brigas, romances, flertes, opiniões, e até as crônicas do Bial sejam artificiais? Fica aí, para você pensar na sua cama, de preferência sob um telhado sem goteiras.
E a política? Essa sim, digna de muitos risos, um verdadeiro “mar de lama”. Há um ano vejo o PT fazendo campanha com a tal Dilma, amiga de Fidel, de Hugo Chavez, do Dirceu e de tantos outros companheiros, falando o que quer e o que bem entende, pretendendo controlar a imprensa e outros subterfúgios da democracia, tudo isso diante de uma oposição claramente despreparada. O PSDB rachado, sem rumo depois que ficou praticamente órfão de FHC. O DEM (partido com o qual mais me identifico, por hora, respondendo há alguns amigos que me consideravam tucano, não o sou) também órfão de ACM, e um Ciro Gomes que agora só aparece sem a Patrícia Pilar, e nem sabe se é candidato a alguma coisa. O PV ganhou Marina Silva, eloqüente no seu discurso, porém frágil na sua vitalidade e com o defeito grave de ser “sustentável” demais num momento em que o assunto não passa dos projetos interessantes que, quem sabe, um dia serão aplicados. A realidade é dura, ecologistas não ganharão eleição alguma, pois não formam uma maioria. O PMDB já teve seu momento, está ruindo aos poucos e só não acaba por ter alguns políticos craques na articulação e na amarração de alianças viscerais, como esta com o PT, claramente comercial. A morte do PMDB é um fato ao qual quero estar presente, beberei com prazer o corpo deste falecido, especialmente na presença de Roberto Requião, Maurício Requião, Eduardo Requião e Papelarias Requião. Enquanto isso, Lula é quem bebe, faz a festa e navega na sua merecida popularidade, e obriga o FHC a se levantar da cadeira, para motivar o PSDB. Vale a pena esperar os próximos episódios.
É isso mesmo, a batalha está acontecendo o tempo todo, enquanto cai uma chuvinha aqui, outra ali, não é nenhuma conspiração, é apenas o fato de que existe alguém mais esperto que você, se beneficiando das horas em que se deixa levar por qualquer conversinha democrática. Mais cedo, ou mais tarde, todos teremos de nos molhar, e nenhuma das belas palavras do Bial poderá lhe confortar, tampouco os “heróis” do confinamento poderão lhe salvar. E tenho dito.

Um comentário:

Ana disse...

Olha! Achei que nossos posts se completam. Essas são as realidades que precisam se aparecer mais que outras. O jornalista no bote salva-vidas então! Exemplo perfeito.

Texto ótimo!

Valeu!!