terça-feira, 19 de abril de 2011

Os Dias Difíceis Voltaram



Na verdade, eles nunca nos abandonaram. Mas parece-me que, desde que escrevi o primeiro texto com este título, a velocidade da piora aumentou relativamente. Temos nas redes sociais, grandes aliados e ao mesmo tempo os grandes vilões da moral e de tudo o que se construiu com o pensamento contestador de outros carnavais, ou melhor de outros tempos (no carnaval, continuamos não tendo grandes avanços nesta área, muito pelo contrário). 


O que nos  terá acontecido? Estamos amortecidos por uma bactéria infame que faz de tudo para que todos acreditem no tal "crescimento sustentável" , nas bandeirinhas verdes que nada mais são do que substituições baratas das bandeiras vermelhas do comunismo, e no bom mocismo intragável e morno das chamadas minorias injustiçadas? 

A respostas é simples. Estamos todos cansados. E o preço deste cansaço é o imposto que mantém a vida boa dos libertários amigos de Fidel, Chaves e Morales. Que mantém o patamar de heroísmo da incompentente Igreja Católica da América Latina, que dispôs da sua prerrogativa religiosa para auxiliar os marxistas, e hoje não consegue mais se levantar e nem apagar essa mancha, sendo a principal responsável pelos apriscos pentecostais exploradores de dinheiro estarem cheios de gente cansada, muitos como eu e como você que está lendo este texto. Percebemos que parece ser obrigação passar a mão na cabeça de uma geração inquieta e sem valores, e que apenas segue passos pré determinados por esse sisteminha fútil e hedonista, que ensina todos a fazerem parte de suas tribos, a terem seus piercings e tatuagens, a terem seus estilos de roupa e de vida, sempre consumindo, e ainda os faz acreditarem ser diferentes e exclusivos, quando não passam de um modelo único e vazio de conteúdo. 

E cansados, aceitamos, simplesmente aceitamos e acreditamos ser mais fácil colocar a culpa "nos ignorantes que elegeram o atual governo", num erro histórico. O atual governo não foi eleito por ignorantes, foi eleito pela inoperância dos que são contra a quadrilha que lá se instalou, pela falta de estratégia política e pela preguiça predominante, que antes não existia. É muita conversa, muita liberdade comprada, e muita atenção desviada do foco. 

As "minorias" são utilizadas como moeda política para conseguir uma adesão maciça ao politicamente correto, e ridiculamente apoiada pela imprensa, seja ela de qual nível de audiência for.  Posso afirmar com todas as letras que as notícias mais imbecis foram produzidas em 2010 e 2011, com campanhas mornas para tentar transformar tudo em um mundo colorido que nunca existiu. Aquelas pessoas felizes não existem, todos querem viver como nas novelas e filmes, e esquecem que o despertador vai tocar e que suas vidinhas permanecerão as mesmas, apenas o que conseguiram foi ajudar a meia dúzia de espertos que tomaram a frente e com uma mensagenzinha boba convenceram milhões a acreditar nesta "Nova Era" de alegria e felicidade, que nunca virá. 

Está na hora de parar com a piada de mal gosto da qual rimos e fechar o semblante para essa palhaçada que acontece diante dos nossos olhos. Este blog fará sua parte, em pílulas de hoje em diante, através da análise crua e direta de alguns fatos. E no mais continuo no @allanlpereira vivendo e aprendendo. Sigam-me os bons, e também os que não são tão bons assim. 

Nenhum comentário: